Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...


Quinta-feira, 17.06.10

Governo desiste do tesouro de Chão de Lamas


 
 


Governo tinha-se comprometido a trazer o tesouro que está exposto em Madrid para Portugal.


O Governo Português desistiu de patrocinar a deslocação para o nosso país do tesouro de Chão de Lamas, por razões financeiras, segundo apurou a Renascença.



Trata-se de um conjunto de moedas e peças em prata lavrada do século II Antes de Cristo, de grande valor histórico e que desde 1922 está exposto em Madrid no museu nacional de Arqueologia.


O Governo português tinha-se comprometido a custear o transporte e instalação do Tesouro, mas em tempo de crise a verba foi cortada do orçamento do Ministério da Cultura.


Uma decisão que é incompreensível, para Jaime Ramos, líder do grupo de cidadãos que há muito exige a devolução destas peças ao Estado português. “Sabemos que o país tem que poupar dinheiro, mas pior que uma bancarrota em termos de dinheiro é a bancarrota moral e a nível dos princípios. O que está aqui em causa é o passado dos portugueses, uma vez que o museu de Madrid está detentor de um tesouro que representa aquilo que eram os lusitanos há mais de dois mil anos e que nós termos que defender”, diz Jaime Ramos. Este grupo de cidadãos vai agora pedir audiências ao Presidente da República, ao primeiro-ministro e à ministra da Cultura de forma a pressionar estas entidades para que revejam esta posição e para que o tesouro de Chão de Llamas possa ser exposto em Portugal.


Fonte: António Pedro (17 Jun 2010). Rádio Renascença:  http://www.rr.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=92&did=108820


Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 22:58

Sexta-feira, 25.09.09

Descoberto em Inglaterra o maior tesouro anglo-saxónico

Descoberto em Inglaterra o maior tesouro anglo-saxónico




O maior tesouro anglo-saxónico jamais visto, constituído por mais de 1500 peças de ouro e prata e datado do século VII, foi descoberto, de forma fortuita, num campo de Inglaterra, noticiou hoje a BBC.


Segundo a cadeia pública de televisão britânica, a impressionante colecção, encontrada com um detector de metais num prado de propriedade privada, no condado de Staffordshire, compreende sobretudo armas, tais como espadas com punhos de ouro e incrustações de pedras preciosas.


Terry Herbert, responsável pelo achado, classificou-o como "o sonho de qualquer amante da detecção de metais".


Há 18 anos praticante desta actividade, Herbert deu com o tesouro quando, com um detector de metais, passava "a pente fino" o terrreno de um amigo.


Um perito em antiguidades, Kevin Leahy, que actualmente está a catalogar o tesouro, assegurou que os arqueólogos ficaram "impressionados" com a qualidade do material encontrado.


A colecção, já certificada como tesouro por um magistrado, inclui cinco quilos de ouro e dois quilos e meio de prata, o que faz dela a mais importante do período anglo-saxónico desde a descoberta, em 1939, de 1,5 quilos de ouro em Sutton Hoo, no condado oriental de Norfolk.


Depois de mostrado ao público, o tesouro será guardado "a sete chaves" enquanto uma comissão independente de avaliação determina o seu valor.


Leslie Webster, antiga responsável do departamento de Pré-História e Europa no Museu Britânico de Londres, declarou à BBC que o achado poderá mesmo "alterar radicalmente" a percepção que hoje se tem do mundo anglo-saxónico.


Fonte: (25 Set 2009). Diário de Notícias: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/Interior.aspx?content_id=1371224



Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 21:46

Sexta-feira, 26.12.08

Jerusalém: descoberto maior conjunto de moedas de ouro do período Bizantino

Arqueólogos britânicos descobriram 264 moedas de ouro com 1300 anos, 

nas antigas muralhas de Jerusalém, debaixo de um parque de 

estacionamento, revelaram hoje as Autoridades Israelitas.

Segundo os cientistas, a descoberta é do século VII, no final do 

período Bizantino. "Nós descobrimos cerâmica, descobrimos vidro, mas 

nunca tínhamos descoberto nada como isto", disse a arqueóloga 

britânica, Nadine Ross, que encontrou o conjunto de moedas no domingo, 

debaixo de uma grande pedra.

"É muito, muito excitante", disse a especialista, que estava na sua 

última semana da viagem a Israel. As moedas são da altura do reino do 

Imperador bizantino Heráclio, entre os anos 610 e 641 DC.

Do lado da cara, as moedas trazem o imperador com trajes militares, a 

segurar numa cruz com a sua mão direita. No reverso da moeda, está a 

cruz. Os arqueólogos explicam que as moedas foram cunhadas no 

princípio do reino de Heráclio, antes dos persas conquistarem 

Jerusalém no ano de 614.

"Isto é um dos maiores e mais impressionantes conjuntos de moedas que 

alguma vez foram descobertos em Jerusalém - certamente o maior e mais 

importante deste período", disseram em comunicado os directores do 

local de escavação, Doron Ben-Ami e Yana Tchekhanovets.

"Já que nenhum vaso de cerâmica foi descoberto ao lado das moedas, 

pode-se assumir que estavam escondidas num buraco da parede do 

edifício", disseram.

Até agora, só se encontrou em Jerusalém um conjunto de cinco moedas de 

ouro deste período.


Fonte: (23 Dez 2008). Reuters.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 17:35


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930





Arqueo logos