Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...


Domingo, 29.06.08

Descobertos sete fósseis de dinossauros

 

Imagem de parte do esqueleto - Foto EPA

Foi descoberto no Sudeste do Utah, segundo anunciaram terça-feira as autoridades.

 


Segundo a administração dos terrenos públicos, investigadores do Museu Burpee de História Natural de Rockford, no Ilinóis, descobriram pelo menos quatro fósseis de Saurópodes de pescoço longo, dois de carnívoros e provavelmente um de Stegossauros, em apenas três semanas de escavações.


O local encontra-se perto da localidade de Hanksville, a 370 quilómetros a Sul de Salt Lake City. Os fósseis deverão datar de 145 a 150 milhões de anos.


Fonte: (18 Jun 2008). Portugal Diário: http://diario.iol.pt/ambiente/dinossauros-arqueologia-fosseis-achados-eua-iol/963564-4070.html

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 19:02

Quinta-feira, 13.12.07

Descoberto um dos maiores dinossauros carnívoro no Níger

Numa expedição ao Níger em 1997, liderada pelo guru mundial dos dinossauros Paul Sereno, da Universidade de Chicago, descobriram-se ossos do crânio de um dos maiores dinossauros carnívoros. Agora foram classificados como uma nova espécie, que teria tido 13 a 14 metros de comprimento e uma altura superior a um autocarro de dois andares.
Cada dente do “Carcharodontosaurus iguidensis”, a espécie identificada por Stephen Brusatte, estudante de mestrado da Universidade de Bristol (no Reino Unido), tem o tamanho de uma banana. Este animal junta-se a outros grandes dinossauros carnívoros, como o famoso “Tyrannosaurus rex” (até 14 metros de comprimento, dos EUA) ou o “Gigantosaurus carolinii” (com 14 metros, da Argentina). Mas o rei terá sido o “Spinosaurus aegypticus”, com 17 a 18 metros, do Egipto.
“Os primeiros restos de um ‘Carcharodontosaurus’, descobertos nos anos 20, resumiam-se a dois dentes, que se perderam. No Egipto, encontraram-se outros bocados, mas foram destruídos quando Munique foi bombardeada em 1944”, conta Brusatte. Desde então, apareceu um crânio no deserto do Sara, em Marrocos, descrito como “Carcharodontosaurus saharicus”. Como os fósseis do Níger são diferentes, Brusatte classificou-os como uma espécie nova de “Carcharodontosaurus”, com 95 milhões de anos, na revista “Journal of Vertebrate Paleontology”.
“Há 95 milhões de anos, a temperatura e o nível do mar eram os mais altos da história da Terra. Marrocos e o Níger estariam divididos por mares pouco profundos, o que permitiu a separação evolutiva das espécies”, frisa Brusatte. Agora também as temperaturas e o nível do mar estão a subir, por isso esses ecossistemas mostram como o mundo poderá evoluir.


In: (12 Dez 2007). Público: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1313581

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 08:18

Domingo, 09.12.07

Dinossauro descoberto em 1999 está em perfeito estado de conservação






Um dinossauro descoberto em 1999 no Dacota do Norte, com 67 milhões de anos, está num estado de preservação tão excepcional que traz uma nova visão da fisiologia deste animais pré-históricos, afirmaram paleontólogos
O espécime, um hadrossauro, um dinossauro herbívoro chamado de 'lagarto bico de pato', devido ao seu bico achatado, conservou a sua pele, ligamentos e tendões fossilizados, o que permitiu aos cientistas reconstruírem a sua musculatura.


Este hadrossauro, baptizado Dacota, foi encontrado na formação geológica de Hell Creeck, por um estudante do ensino secundário, Tyler Lyson.


Lyson contactou Phillip Manning, paleontólogo da Universidade de Manchester, que acabou por 'desvendar' a totalidade do dinossauro mumificado em 2006.


«Geralmente encontram-se ossadas mas é muito raro encontrar um esqueleto completo fossilizado», explicou Manning numa entrevista à agência AFP.


Os hadrossauros mediam entre 7 e 9 metros de comprimento e podiam ter entre 1,8 e 2,4 metros de altura.


In: (5 Dez 2007). Lusa / SOL: http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=70021







 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 18:01

Quinta-feira, 15.11.07

Paleontólogos americanos revelam nova espécie de dinossauro com 500 dentes

Fóssil descoberto no Sahara tem 110 milhões de anos


dsfdsg


Uma equipa de paleontólogos norte-americana revelou hoje uma nova espécie de dinossauro saurópode cuja dentição consistia de 500 pequenos dentes com função aspiradora. O Nigersaurus Tarqueti está a partir de hoje em exibição no Natural History Museum de Nova Iorque.


O animal, cujo nome presta homenagem ao seu descobridor, Phillippe Tarquet, é um parente mais pequeno dos Diplodocus e mede cerca de 13 metros. Como explicou Paul Sereno, director da equipa de investigação, este animal utilizava os seus cerca de 500 dentes – um número recorde mesmo entre os dinossauros – como um par de tesouras de 30 centímetros, que o auxiliavam na sua alimentação herbívora.
Outra particularidade deste animal era o facto de ter a boca orientada para o solo, em vez de estar voltada para a frente como a dos restantes dinossauros. Apesar da postura erecta (saurópode, sobre duas patas), este animal possuía vértebras extremamente frágeis. “É difícil imaginar como é que as vértebras resistiam às tensões diárias”, refere Jeffrey Wilson, outro membro da equipa “no entanto, sabemos que funcionavam perfeitamente”.
Esta descoberta é o resultado de uma investigação financiada pela National Geographic Society de Washington, pela Fundação David e Lucille Packard e pela Universidade de Chicago. O Nigersaurus, cujos primeiros fósseis remontam à década de 50, será capa da edição de Dezembro da National Geographic Magazine, e poderá ser visto ao vivo no National History Museum de Nova Iorque, a partir de hoje.


In: (15 Nov 2007). AFP / Público: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1310832&idCanal=13 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 21:15

Segunda-feira, 15.10.07

Nova espécie de dinossauro gigante encontrada na Argentina

215054_dinossauro.jpg


O novo fóssil foi descoberto na Patagónia


Futalognkosaurus dukei media entre 32 e 34 metros



Um grupo de paleontólogos brasileiros e argentinos descobriram o maior fóssil completo de uma nova espécie de dinossauro gigante. Esta descoberta permite perceber um pouco melhor como terá sido o actual norte da Patagónia há 80 milhões de anos.


O herbívoro Futalognkosaurus dukei media entre 32 e 34 metros, da cabeça à cauda. “É uma nova espécie que cria um novo grupo”, explicou a paleontóloga argentina, Juan Porfiri, numa conferência no Rio de Janeiro.
Cerca de 70 por cento do fóssil estava preservado, o que contrasta com os 10 por cento do outro dinossauro gigante da mesma espécie encontrado.
O nome dado à recente descoberta deriva da linguagem indígena Mapuche e significa “chefe gigante dos lagartos”. O nome dukei é uma referência à empresa dos Estados Unidos Duke Energy Corp, que financiou uma grande parte das escavações na Argentina. Os primeiros fósseis tinham sido encontrados em 2000.


In: (15 Out 2007). Público: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1307625&idCanal=13 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 23:44


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Posts mais comentados





Arqueo logos