Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...



Segunda-feira, 30.07.12

Arqueólogos acreditam ter encontrado o esqueleto de Mona Lisa


Ossadas encontradas em Florença podem ter pertencido à musa de Leonardo Da Vinci



Encontrado o esqueleto de «Mona Lisa»?




Arqueólogos encontraram um esqueleto no Convento de Santa Úrsula, em Florença, na Itália, que acreditam ser Lisa Gherardini, a musa que inspirou o pintor Leonardo Da Vinci. As ossadas podem assim pertencer à mulher que inspirou um dos quadros mais famosos do mundo, a Mona Lisa.
Lisa Gherardini, de acordo com o jornal «Daily Mail», era a esposa de um rico comerciante de seda, chamado Francesco del Giocondo. Após a morte do marido, ter-se-á tornado freira, tendo morrido no convento no dia 15 de julho de 1542, aos 63 anos.
No ano passado, uma equipa de arqueólogos começou a cavar no convento abandonado de Santa Úrsula e, durante a escavações, encontraram uma cripta, que acreditam ter sido de Lisa Gherardini e, logo de seguida, encontraram um crânio feminino.
As escavações ficaram suspensas, uma vez que a equipa ficou sem fundos, porém, conseguiram regressar no último mês.
Durante a última semana, a equipa encontrou o esqueleto, cujo os ossos serão submetidos a testes, para determinar se correspondem ou não ao crânio encontrado no ano passado.
O arqueólogo Silvano Vinceti, que é responsável pela escavação, explicou: «Nós não sabemos se os ossos pertencem a um único esqueleto ou mais do que um. Esta descoberta confirma a hipótese de existir, no convento St.Ursula, ossos humanos, e não podemos excluir que entre eles há ossos pertencentes a Lisa Gherardini».
Os cientistas vão agora comparar o DNA dos ossos com os restos de duas crianças que foram enterradas nas proximidades.
Depois verificarem o esqueleto e crânio, os arqueólogos pretendem reconstruir o rosto da italiana Lisa Gherardini e comparar com o rosto da Mona Lisa, e talvez resolver o mistério do sorriso enigmático da pintura com mais de 500 anos.


Fonte: CBA (18 Jul 2012). CBA. TVI 24: http://www.tvi24.iol.pt/internacional/mona-lisa--esqueleto-arqueologia-internacional-ultimas-noticias-tvi24/1362182-4073.html



Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 12:52

Segunda-feira, 30.07.12

Arqueólogos encontram barca funerária da 1ª dinastia de faraós do Egito

Objeto era enterrado ao lado dos mortos para que eles pudessem usar na outra vida


Esqueleto de um barco de madeira recém-descoberto no complexo arqueológico Abu Rawash, a oeste do Cairo

                         Resquícios de um barco funerário feito de madeira, recém-descoberto no complexo arqueológico Abu Rawash, a oeste do Cairo (AFP).




Uma equipe de arqueólogos encontrou no Egito uma barca funerária de madeira que pode ter ido usada durante a era do Faraó Den (também chamado de Udimu), na primeira dinastia, em torno do ano 3.000 a.C.


O ministro egípcio de Antiguidades, Mohammed Ibrahim, disse em comunicado que a barca está em bom estado e foi encontrada no sítio arqueológico de Abu Rawash, na província de Guiza, a oeste de Cairo.


Uma equipe de pesquisadores do Instituto Francês de Arqueologia Oriental escavava o local quando encontrou vestígios da barca. São 11 tábuas de madeira, cada uma com seis metros de comprimento e 1,5 m de largura. As peças eram colocadas ao lado dos túmulos para que os mortos pudessem utilizá-la em outra vida, disse Hussein Abdel Basir, do Museu Nacional da Civilização Egípcia.


As peças arqueológicas foram levadas para a restauração e, depois, serão expostas no Museu Nacional da Civilização Egípcia, na sala dedicada ao Rio Nilo.


Em fevereiro, arqueólogos iniciaram os trabalhos para extrair centenas de peças de madeira da segunda barca solar do mais poderoso dos faraós egípcios, Keops (2609-2584 a.C.), pertencente à IV dinastia faraônica.


Fonte: (26 Jul 2012). EFE/Veja: http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/arqueologos-encontram-barca-funeraria-da-1a-dinastia-faraonica-no-egito

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 12:48

Segunda-feira, 30.07.12

Diretor do Museu Nacional de Arqueologia substituído


<input ... >O diretor do Museu Nacional de Arqueologia (MNA), Luís Raposo, foi substituído no cargo por António Carvalho, que integra atualmente a câmara municipal de Cascais, confirmou à agência Lusa o diretor geral do Património Cultural, Elísio Summavielle.








O jornal Público deu ontem conta do afastamento de Luís Raposo da direção do MNA, em Lisboa, e cita uma carta que este escreveu aos Amigos do Museu Nacional de Arqueologia dando conta da não continuidade do cargo.


Luís Raposo estava há 16 anos à frente do Museu Nacional de Arqueologia, mas considera-se "arqueólogo de base" daquele museu há três décadas, sendo agora substituído por António Carvalho, de 47 anos, licenciado em História e atual diretor do departamento de Cultura da câmara municipal de Cascais.


Elísio Summavielle disse à agência Lusa que "a substituição de Luís Raposo insere-se no contexto da criação" da Direção Geral do Património Cultural (DGPC), que resulta da fusão do Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico com o Instituto dos Museus e da Conservação e com a Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo.


Além de Luís Raposo, "todos os dirigentes das estruturas centrais dos organismos que agora se fundem, dos museus e monumentos (e serviços dependentes) cessaram funções com a saída da portaria que regulamenta a DGPC", que data do passado dia 25.


Os dirigentes substituídos, como foi agora o caso de Luís Raposo, mantêm-se até ao termo do mandato ou em regime de substituição, uma vez que é obrigatória a abertura de concurso público para os cargos de direção dos vários museus e equipamentos tutelados pela DGPC, esclareceu Elísio Summavielle.


Fonte: Ricardo Simões Ferreira (29 Jul 2012). Lusa/Diário Notícias: http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=2692466






Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por noticiasdearqueologia às 12:42

Segunda-feira, 30.07.12

Coliseu está a ficar inclinado como a Torre de Pisa


O Coliseu de Roma sofreu um desnivelamento de 40 centímetros. Foi a esta conclusão que chegou a comunidade científica quando, há um ano, realizou um estudo à estrutura do monumento.







Este inclinação, que segundo o site do ABC, é conhecida há um ano por arqueólogos e historiadores, verifica-se na parte sul do Coliseu. Para estudar este fenómeno que poderá deixar o Coliseu com a mesma aparência da Torre de Piza (inclinado), o Núcleo de Arqueologia fez um protocolo com a Universidade La Sapienza e o Instituto de Geologia Ambiental.


Face a este problema (mantido em segredo até agora), deu-se início a alguns trabalhos para controlar o comportamento dinâmico do Anfiteatro Flavio, que deverão estar concluídos dentro de um ano.


As investigações feitas em torno de todo o monumento deverão ajudar a desvendar este enigma. Entretanto, e enquanto os resultados não são conhecidos, Fumagali, o arquiteto supervisor dos estudos, lembra um detalhe que contribui certamente para a inclinação do monumento: a passagem de carros e do metro nas imediações.


Este responsável lembra que "os carros provocam mais danos do que o metro". E questiona: "Para quê submeter o monumento a esta vibração contínua?" Para Fumagali, carros, motos, autocarro turísticos e transportes públicos são o principal atentado contra a saúde do Coliseu. É que a trepidação é responsável pela formação de fissuras, a queda de estuque e gesso.


Fonte: Isaltina Padrão (30 Jul 2012). Diário Notícias: http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=2694168&seccao=Europa






Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 12:39


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031





Arqueo logos