Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...



Terça-feira, 11.08.09

Complexo dos Perdigões está a ser “radiografado”

Uma prospecção geofísica, com técnicas que conseguem "ler" o que está enterrado no solo, está a permitir fazer a "radiografia" do Complexo Arqueológico dos Perdigões, alvo de escavações na Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz (Évora).



"Uma das novidades deste ano é o facto de se ter feito uma prospecção geofísica, que não é muito comum em Portugal, que permite fazer uma leitura ou uma 'radiografia' daquilo que está enterrado", disse hoje à agência Lusa um responsável da ERA Arqueologia.


Miguel Lago, arqueólogo e administrador da empresa que procede a escavações e campanhas arqueológicas no Complexo dos Perdigões desde 1997, explicou que, através da prospecção geofísica, conseguem-se detectar "quais os tipos de estruturas arqueológicas" que se encontram no subsolo.


"Mediante a aplicação de várias técnicas que vêm da área da física, conseguimos fazer uma leitura do que está enterrado e ficamos a saber onde estão, por exemplo, fossos, muros ou cabanas", disse.


A prospecção geofísica, fruto de uma parceria entre a ERA Arqueologia e a Universidade de Málaga (Espanha), que este ano também começou a escavar aquele sítio arqueológico, decorreu em Julho e continuará em Setembro.


O trabalho foi desenvolvido pelo alemão Helmut Becker, "um dos maiores especialistas nesta área", e os resultados preliminares da prospecção vão ser divulgados terça-feira na Herdade do Esporão, num encontro com jornalistas.


"Este especialista considera que este é um dos sítios onde obteve melhores resultados", afiançou Miguel Lago, garantindo que a técnica possibilita uma "radiografia" apurada do complexo, que ocupa 16 hectares, dois terços na Herdade do Esporão e o restante em quatro herdades vizinhas.


"Há uma fotografia aérea dos Perdigões, já famosa, mas agora temos uma imagem muito clara da planta do complexo e esta informação trazida pela geofísica permite afinar os dados, apurar a complexidade do sítio e gerir quais as áreas mais relevantes a escavar e a investigar", acrescentou.


A campanha arqueológica deste ano nos Perdigões começou em Julho e termina no final desta semana, tendo a ERA Arqueologia começado a escavar a zona central do complexo, enquanto a Universidade de Málaga se centrou numa outra área, onde a empresa portuguesa iniciou, em 1997, as escavações.


"No centro do complexo, numa zona bastante restrita, há vários elementos que apontam para a existência de uma sequência arqueológica que abrange uns mil anos, desde o Neolítico Final até ao Calcolítico Final", revelou.


Nesse local, os arqueólogos encontraram objectos de cerâmica, restos de minérios e de ossos de animais e várias estruturas, como fossos, muros, eventuais bases de cabanas e valas de assentamento de paliçadas, assim como o que se pensa serem dois fornos.


O complexo arqueológico dos Perdigões, um conjunto pré-histórico fundado há mais de cinco mil anos, tem em curso o processo de classificação como Monumento Nacional.




Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 21:45


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2009

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031





Arqueo logos