Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...



Sábado, 10.10.09

Parque do anel verde em Lagos começa a receber carros em Janeiro

Já falta pouco para Lagos passar a ter dois novos parques de

estacionamento prontos a estrear, com um total de 900 lugares, num

investimento de 15,5 milhões de euros.

Enquanto o parque do anel verde já leva uns pontos de avanço, pois tem

12 meses de prazo de conclusão face aos 14 do da zona ribeirinha,

ambos vão respeitar o tempo de obra previsto, garantiu ao «barlavento»

Carlos Albuquerque, presidente da empresa municipal Futurlagos.


O parque do anel verde, junto ao centro histórico, abrirá ao público

no «início do próximo ano». É que, naquele local, «os trabalhos

arqueológicos já terminaram e os de construção da estrutura estão a

correr como programado, uma vez que foi possível afectar mais meios

humanos e mecânicos» para cumprir os prazos, justificou.

«Um quarto da laje de cobertura já está betonado e agora entrámos na

fase de armar ferro para depois fazer as ancoragens e betonar os

outros três quartos», assegurou.

Em Novembro e Dezembro começam as fases de arquitectura e de

especialidade, como o ar condicionado e a ventilação.

Neste caso, a relevância arqueológica condicionou as obras, mas

acabará por ser uma mais-valia para o resultado final.

«Para preservar a memória histórica do antigo hospital da gafaria,

encontrado durante os trabalhos arqueológicos, foi feita uma alteração

ao projecto de arranjos exteriores no sentido de manter algumas das

suas estruturas», revelou ao «barlavento» Carlos Albuquerque.

No futuro, os utilizadores vão poder ainda encontrar uma placa com

informações sobre o antigo hospital para leprosos do século XV, então

situado na periferia da cidade.

A importância dos achados «obrigou a que tivéssemos equipas de

arqueologia, antropologia, medicina, sociologia, economia e história

para contextualizar o conjunto, que vem enriquecer o património

histórico», sublinhou ainda.

Isto mostra que nem sempre a arqueologia é um entrave, desde que o

planeamento da obra seja rigoroso e que haja uma boa relação entre os

arqueólogos e o empreiteiro.

No outro ponto da cidade, o parque de estacionamento na frente

ribeirinha tem, por sua vez, uma complexidade e visibilidade

diferentes, devido à sua localização.

«Primeiro, porque está paredes meias com o casco urbano do centro

histórico, em segundo lugar, porque vai servir mais os visitantes da

cidade», salientou. Por isso, antes do Verão, o espaço tem que estar a

postos para receber os turistas e facilitar a vida aos residentes.

«Os trabalhos têm o acompanhamento de uma equipa de arqueologia e têm

sido desenvolvidos trabalhos inovadores, para compatibilizar a

engenharia, arquitectura e construção civil, com a arqueologia»,

afirmou.

Uma das inovações serve para acautelar que o pano da muralha é

preservado. «A geoarqueologia, na Rua da Barroca, permitiu validar uma

solução de construção do parque, que consiste em fazer perfurações de

micro-estacas, abaixo da base da muralha para assegurar a sua

sustentação», explicou o responsável pela empresa municipal.

Entretanto, a obra já entrou na fase da impermeabilização, visto que a

contenção periférica está feita.

«Agora é fase de adaptação do plano de trabalhos da arqueologia com a

obra, o que diminui o ritmo de construção. Há ainda o acompanhamento

da arqueologia subaquática, por isso temos a equipa em permanência no

local para ver se há algum contexto que seja relevante, o que até aqui

não aconteceu. Tanto que já estamos a trabalhar para fazer a laje de

fundo», avançou.

Numa fase posterior, há que conciliar os arranjos exteriores e

infra-estruturas comuns à obra de requalificação do Polis de Lagos,

como saneamento, pluviais, telecomunicações, electricidades.

«As obras não estão atrasadas. Houve um condicionamento arqueológico

que influencia o ritmo, mas que pode ser recuperado, desde que haja

articulação entre os intervenientes com visões, responsabilidades e

objectivos diferentes: empreiteiro e arqueologia», considerou.

Fonte: Ana Sofia Varela (7 Out 2009). O Barlavento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por noticiasdearqueologia às 23:01


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031





Arqueo logos