Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...



Sábado, 22.08.09

Templo foi recuperado para receber acervo: Capela guarda património de Bemposta

A aldeia mais pequena do concelho de Penamacor, distrito de Castelo Branco, abriu o seu núcleo museológico que reúne vestígios da época romana.


A capela de S. Sebastião em Bemposta é o novo local de culto do património desta aldeia do concelho de Penamacor.


As peças estavam no lavadouro da aldeia e algumas desapareceram.

O espaço foi remodelado e reabriu como núcleo museológico, reunido um acervo constituído essencialmente por aras com inscrições romanas e estelas funerárias.


Os objectos estavam há muito nos lavadouros da freguesia, junto à igreja matriz, o que acabou por levar ao desaparecimento de alguns deles.   


"Infelizmente foram furtadas algumas pedras com valor", conta Luís Tomé, o presidente da Junta de Freguesia de Bemposta.


A autarquia chegou a apresentar queixa na Polícia Judiciária mas diz que o processo foi arquivado.


As peças que não foi possível integrar no museu deverão ser colocadas junto ao castelo, quando este for alvo da tão esperada remodelação.


A recuperação da capela de S. Sebastião é vista como uma oportunidade para chamar visitantes à aldeia mais pequena de Penamacor, mas que entre 1510 e 1836 foi sede de concelho.


"São estas pequenas obras que podem servir de pólos de atracção para que mais pessoas nos visitem", diz o presidente da junta de freguesia.


A reconversão da pequena capela em núcleo museológico é o resultado de um protocolo entre a Diocese da Guarda, a Câmara Municipal de Penamacor e a Fábrica da Igreja de Bemposta.


Domingos Torrão, o presidente da Câmara Municipal de Penamacor, realça a abertura que houve da parte do Bispo D. Manuel Felício para que esta solução fosse possível.


Para a autarquia o investimento no património de Bemposta é para continuar.


A aldeia, diz Torrão, "tem um património arqueológico que neste momento está a começar a ser desbravado".


Além das estelas e das inscrições romanas presentes na exposição salta ainda à vista um monólito que remonta à época dos Templários e que de acordo com os investigadores servia de marco de separação de território entre o concelho de Penamacor e o senhorio da Bemposta, que pertencia à Ordem dos Cavaleiros Templários.


Neste aparece o crescente lunar, que ainda hoje consta no brasão de Penamacor.


O núcleo museológico não estará de portas abertas em permanência, mas quem estiver interessado em visitar o espaço pode pedir na junta de freguesia - que fica a poucos metros da capela - para o fazer.


A aldeia que no próximo ano comemora os 500 anos do Foral tem há muito a promessa de requalificação.


Questionado sobre o processo, Domingos Torrão diz que a requalificação da aldeia só vai avançar depois dos estudos arqueológicos, que estão a  ser feitos pela associação Arqueonova, responsável pelos  trabalhos de arqueologia na zona histórica de Penamacor e em Meimoa.


A autarquia pretende ainda recorrer ao Programa de Desenvolvimento Rural Proder para recuperar habitações de particulares, diz o presidente da câmara penamacorense.


Fonte: José Furtado (21 Ago 2009). Reconquista: http://aeiou.expresso.pt/capela-guarda-patrimonio-de-bemposta=f531999

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 23:48



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2009

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031





Arqueo logos