Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

NOTÍCIAS DE ARQUEOLOGIA

O Património é um bem comum... Preservá-lo só depende de cada um de nós...



Domingo, 05.07.09

Petição contra construção do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes

Uma petição com o objectivo de fazer suspender todas as resoluções relativas à construção do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes (MIAA), foi posta a circular on-line tendo recolhido 550 assinaturas no espaço de uma semana.


 


A petição, a que se pode aceder em www.gopetition.com/, pede que o projecto seja ‘repensado’ assentando em quatro pressupostos que apontam para a ‘excessiva altura” da torre que vai albergar o Museu e reclamando pela ‘suspenção camarária de todas as resoluções sobre a sua construção.


 


A petição pede que a campanha autárquica se centre na discussão do projecto e que seja suscitado um referendo local sobre a matéria, a realizar em Assembleia Municipal pós-eleições autárquicas.


 


Segundo disse à agência Lusa o autor e primeiro subscritor da petição, José Carreiras, a petição “reivindica uma decisão democrática sobre o MIAA, uma vez que a autarquia não tem legitimidade para impor em fim de mandato, e sem um verdadeiro debate público, um projecto que terá um enorme impacto sobre a cidade e que merece as maiores dúvidas e objecções dos abrantinos”.


 


A discussão sobre este projecto, continuou, “deve ser retirada imediatamente da esfera da discussão especializada porque antes da arquitectura, o que está em causa é urbanismo e democracia. Não podemos aceitar uma civitas imposta e não discutida”.


 


Promovido pela Câmara Municipal de Abrantes e pela Fundação Estrada, o MIAA tem o propósito de apresentar as colecções de Arqueologia, de História e de Arte, desde a Pré-História até à Época Contemporânea, reunidas pelas duas instituições.


 


Com um orçamento previsto na ordem dos 12,5 milhões de euros, o arquitecto Carrilho da Graça, autor do projecto, disse à agência Lusa que, ao projectar o Museu, procurou “a maneira mais interessante de expor a colecção” tendo chegado à conclusão que a melhor forma de o fazer seria “uma torre que conciliasse a beleza da cidade e da paisagem, com a intensidade dos objectos a expor”.


 


O projecto, já aprovado pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR) “é uma obra que vai alterar radicalmente a paisagem da cidade de Abrantes, vai permitir uma vista privilegiada para vários pontos da cidade e vai constituir-se como um novo ex-libris da região”.


 


“Na petição que circula há um aspecto que desagrada, disse Carrilho da Graça, tendo afirmado que “a caricaturagem do projecto e a sua divulgação com fotomontagens totalmente incorrectas não é admissível”.


 


Segundo acrescentou, “essa eventual polémica está a ser baseada em representações caricaturais de projecto, das quais eu discordo, e é natural que as pessoas que não conhecem o projecto fiquem com má impressão ao ver aquela imagem e que o considerem um atentado ao património”.


 


“O meu ponto de vista não é esse, estou disponível para explicar o projecto as vezes que forem necessárias mas não posso é desmontar as caricaturas que são feitas do Museu, a não ser judicialmente ou através da Ordem dos Arquitectos”, disse Carrilho da Graça, afirmando-se “bastante convicto” do que está a fazer.


Fonte: (3 Jul 2009). O Mirante: http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=54&id=31929&idSeccao=479&Action=noticia

Autoria e outros dados (tags, etc)

por noticiasdearqueologia às 21:57


3 comentários

De Jaime Rebotim a 15.07.2009 às 12:37


No entanto não entendo como é que três reputados e experientes arqueólogos ao examinarem as peças ditas arqueológicas reunidas pelo fundador das colecções a expor, não conseguiram perceber que grande parte dos artefactos são alegadamente falsos, designadamente aqueles em ouro e bronze, tendo sido adquiridos a elementos de uma organização internacional de traficantes de obras de arte, que as forjam e contrabandeiam há mais de uma década para Portugal. E que várias imagens de santos da colecção de arte sacra, á semelhança de outras já apreendidas em inspecções da Polícia Judiciária, foram roubadas nomeadamente de igrejas do Baixo Alentejo por membros de uma rede de gatunos de antiguidades !?

Sobre assuntos relacionados com este escândalo cultural recomenda-se a sua consulta nos tópicos de vários outros sites e foruns:

[url]http://artederoubar.blogspot.com/2008/10/portugal-saque.html[/url]

[url]http://www.prorestauro.com/phpBB3/viewtopic.php?f=9&t=4609[/url]

[url]http://arqueologia.informe.com/policia-espanhola-dt355.html[/url]

[url]http://arqueologia.informe.com/antiguidades-trnofico-lucrativo-dt1013.html[/url]

[url]http://arqueologia.informe.com/legalidade-do-comnurcio-de-materiais-arqueolnegicos-dt1546.html[/url]

[url]http://arqueologia.informe.com/bpn-colecn-noo-egn-pcia-dt1552.html[/url]

Com consideração.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2009

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031